segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dusinita transparente... Dusinita vermelha...




Mineral gerador de energia em todas as suas manifestações: luz, calor e força. Aparentemente se parece com o cristal, mas seu tamanho surpreende; levando em conta a sua natureza mineral, tem dimensões elevadas, pode-se dizer que é um "macro-mineral".

Existe em grande quantidade e em duas colorações distintas:

Um é transparente, ou seja, incolor, muito poderoso, mas de energia muito sutil, quase imperceptível aos nossos sentidos; é mais utilizado para a geração de luz, o outro é de tonalidade avermelhada, como brasa incandescente, mais concentrado e de maior poder impulsionador na geração de energia de força e de calor.

É dotado de enorme capacidade iniciatória na movimentação maciça de grandes massas inativas.

Porém, é desprezado pelo "grosso" da humanidade por não lhe conhecer a sua imensa e valiosa utilidade. Encontra-se até empilhado em calçadas e ruas, como lixo à espera de incineração.

Aquele que o conhece, armazena infinitas quantidades para abastecer-se durante a sua longa viagem de volta ao seu "planeta" de origem.

Devemos aprender a não rejeitá-lo e não desperdiçá-lo para não ficarmos no meio da viagem, por extinguirem-se os estoques. Nunca é demais; corre-se o risco de quase sempre ser de menos.

A preguiça e as distrações nos fazem desviar da missão do armazenamento, como também nos deixam perder quantidades preciosas desse mineral e assim nos exaurimos ao recolher com as mãos e até com os pés os que encontramos no caminho, provavelmente perdidos por outros desatentos. E os que deixamos cair, ficam para trás, mas não conseguimos voltar, é um caminho onde só se anda para a frente.

Quando obtivermos quantia considerada suficiente, quiçá, excedente, caso não consigamos carregá-la nas mãos, devemos adquirir recipientes necessários e próprios para transportá-la.

Caso vejamos alguém que não lhe conheça o teor tão valioso, contemo-lo de que se trata e o que faz, devemos explicar como funciona de maneira tal, que a informação se impregne no alguém a quem se conta... E, abdiquemos da autoria da descoberta, pois alguém já descobriu antes a mesma coisa. Não somos autores originais de nada. Tudo o que é, já foi e será sempre, apenas é nossa obrigação que o todo se melhore.

Se a luz que lhes acende a casa é precária, por que só a nós é dada a luz mais forte, o melhor luzeiro?

Fiquemos felizes com a melhoria de todos! Finalmente embarquemos, abasteçamos a nave e partamos nesse lindo amanhecer.

Até breve a quem fica.

Nos encontraremos na eternidade.


Dulceny z 17/03/1998

"Texto baseado num sonho"

2 comentários:

Daniele Barizon disse...

Lindo, Dulceny! Como, alias, deve ter sido o sonho.

Bjs,

Barreto disse...

Show de bola.
Liiiiiindo.

Irmã, estou de blog novo, bem espiritual. Quando der, faça uma visita. Ah, me recomende!

Abração.
Barreto

http://somostodosespiritos.blogspot.com